6 fatos que mostram por que o Recife não sabe o significado da palavra “limite”

Dizem por aí que Curitiba é a “Rússia Brasileira”. Pode até ser, mas Recife pode ser um concorrente de peso para conseguir este título, afinal, a Veneza brasileira também tem seus dias de loucura em que a gente olha, para e pensa: “Essa com certeza é a cidade mais louca em linha reta do mundo”.

Obviamente que o recifense tem uma parcela de culpa, isso porque a gente tem um instinto meio cabuloso, que tenta desafiar qualquer coisa comum. Em resumo, a natureza e o homem quando se cruzam nessa cidade tendem a criar eventos inexplicáveis.

money

1 – Chuva de dinheiro

Um dos momentos mais épicos da cidade do Recife foi a “chuva de dinheiro“. Mas calma, não foi São Pedro que fez o Robin Wood e resolveu devolver os IPTU’s da gente, foi uma operação da Polícia Federal que aconteceu nas Torres Gêmeas (aquelas do Cais Sta. Rita). Um dos envolvidos no esquema, sempre muito sábio, achou uma boa ideia jogar os bolinhos de dinheiro janela abaixo e todo mundo queria ter passado na hora pra catar a ajudinha financeira.

 

2 – Assalto a cavalo no Janga

Em Tão Tão Longe, mais conhecido como Janga, (onde mais seria?) aconteceu algo digno de faroeste: um assalto à cavalo. Sim, um cavalo, aquele bichinho de 4 patas que puxa carroças e dirige alguns carros no Recife. Esse presepada aconteceu no começo de 2016 e prova que você nunca sabe o que esperar dessa gente que vive aqui.

 

tromba-dagua-em-piedade-1

3 – Tromba d’água em Piedade/Candeias

Um dia de domingo na praia pode ser comum em terras nordestinas. Mas como aqui nada é normal, recebemos a visita de um ilustre fenômeno: uma tromba d’água. Exatamente, um mini tornadozinho básico apareceu na praia de Piedade causou um estrago e de quebra rendeu uns memes incríveis.

 

 

agua

4 – A maior-chuva-vórtice-apocalipse-em-linha-reta-do-mundo

Volta e meia tem sempre aquela “chuvinha” pra lavar a alma e a cidade. Sendo que nesse caso, a chuva junta todas as outras que não caíram em um ano em apenas um dia. No comecinho de 2016, por exemplo, uma deliciosa chuva acompanhada de ventos do apocalipse e três dias sem luz fizeram a festa na cidade (e enlouqueceram os meteorologistas da Apac). Os meteorologistas disseram que se tratava de um Vórtice ciclônico que atingiu a nossa amada cidade, mas nois sabe que Deus quis fazer de Recife mais um recorde pra o Guiness. Aconteceu em 2016, mas claramente foi parte do filme 2012.

 

5. Ladrões cheios de frescura

Lá em Setúbal, um grupinho de comparsas resolveram assaltar um restaurante, mas as exigências para um assalto bem sucedido eram muitas: os ladrões roubaram telefones Android (porque, segundo eles, iPhone dá pra rastrear) e não deixaram as alianças dos casais porque “dão azar”.

Com certeza esses ladrões devem ser gente de humanas que provavelmente fez um mapa astral pra escolher a melhor hora. Outra coisa, iPhone dá pra tirar o rastreio, porque levaram o 5S de uma das nossas hipsters na Guararapes e conseguiram limpar até o iCloud. Esses ladrões de Setúbal têm muito o que aprender com os trombadinhas da Cidade.

 

vid_cuqspbaevy20160830_225458_200x200

6 – O Clarão misterioso

Um dos maiores eventos que rolaram em Recife (depois da Copa), foi a presença de um Clarão. Não foi Jesus voltando e muito menos Goku, mas um rastro de cometa que passou pela cidade e desembarcou no Cais José Estelita ( Recife é muito requisitada pelas estrelas) Além de ter dado um susto no povo, ele cedeu uma entrevista pra gente. Recentemente o Clarão sentiu falta da Veneza Brasileira e voltou como explosão da subestação da Celpe no bairro de Peixinhos, em Olinda.

 

Passados estes eventos, vamos torcer para que a nossa lindja cidade se torne mais calma… ou não. Tem mais algum item da lista faltando? Conta pra gente.

Comments

comments