Ei, Jovem! Crônica de uma estudante recifense

Ilustração: Amanda Rocha/Especial para o Hipster Recifense

Sete horas no país chamado Ibura. Evellyne Vitória ainda dorme sonhando com o boy da série que fez maratona na noite anterior. Bicho bonito, ator de Holiúde. Sete e um. Mainha entra no quarto:

– Evellyne Vitória! Tu num vai pra faculdade não é querida? Já é sete horas jovem!!

– Ain mainha dexa eu dormir mais cinco minutinh..

image

– TAIS DOIDA? LEVANTA DESSA CAMA AGORA ANTES QUE EU VÁ AÍ E QUEBRE UM CABO DE VASSORA NA TUA CABEÇA!

Depois de uns gritos desses a jovem resolveu levantar mesmo. Segundas-feiras são sempre difíceis, principalmente quando se vai dormir às três da manhã. Evellyne se arrumou rapidinho, esqueceu o pão na mesa, a mãe deu outro grito, mas ela já tava no portão e saiu correndo porque avistou o busão chegando na parada. Só tinha um problema: uma avenida no meio.

image

Já dizia o velho ditado: se correr o bicho pega se ficar o bicho come. Resolveu correr, mas não contava com o carro que apareceu que nem doido do nada e BUM! Evellyne Vitória voou uns 3 metros. Mas e o ônibus? Tava chegando na Parada! Ia perder a primeira aula e reprovar por falta ou chorar da dor da batida? Não tinha muito tempo pra decidir. Levantou divamente como se nada tivesse doendo e correu como quem foge dos zumbis de The Walking Dead.

– Jovem, você tá bem? Perguntou o motorista do carro enquanto levantava. Jovem? Jovem?

– Moço foi nada não, tô de boas, só pare de me chamar de Jovem pelamor! Vou perder o busão fui! E saiu em disparada.

image

Não tinha tempo pra ter vergonha, não tinha tempo pra dar bom dia, a não ser que fosse no bom e velho Twitter. Nesse ela tinha tempo e 140 caracteres.

image

Subiu no lindo UR-02 (opcional), ônibus geladinho, cadeira confortável. O cobrador soltou um belo “Bom dia, jovem” o qual nem deu tempo de responder tinha acabado de perceber que trouxe o Vem estudante na bolsa e no opcional “Só aceitamos Vem Trabalhador, jovem”.

image

– Moço, esqueci meu Vem Trabalhador, posso ficar aqui na frente?

– Jovem, como tu quer ser estudante e andar de opcional? Te liga que tu desce na próxima, parça

– Namoral, moço, deixe de onda! E desceu.

 

Foi atropelada, acordou cedo, levou uns gritos de mainha e esqueceu o Vem Trabalhador dela. Tinha como ficar pior? Rs rs rs rs é claro que tinha. Teve que voltar andando as paradas até chegar em casa pra pegar a bendita passagem eletrônica quando um cara do Manassés a parou no meio do caminho:

image

 

– Jovem, quer ajudar a instituição comprando este simbólico kit que com a graça de nosso-senhor-jesus-cristo tira várias pessoas da rua assim como eu que passei…

– Apois viu! Tava nem sabendo que o Manassés desistiu dos busões e tá investindo em pegar o povo na rua agora…

– Na verdade eu tava no meio do caminho pra parada, mas vi tua cara de sofrida e quis te mostrar a palavra, jovem…

– Mermão, doido, pare de me chamar de jovem, movéi! Vou comprar nada não, oxi.

Saiu correndo entrou em casa, a mãe tinha ido na feira, tava a irmã mais velha e a sobrinha de 5 anos.

– Tia, a SENHORA vai pra faculdade hoje não?

“Pelamor de Deus, me chama de jovem”, pensou Evellyne Vitória sentindo as rugas no rosto aos 20 anos.

image Por: Ingrid Cordeiro

Comments

comments